A PROVISÃO DE DEUS (Oswaldo Jacob)

Preso em Roma, o apóstolo Paulo escreve aos irmãos em Filipos dizendo que “Deus suprirá todas as vossas necessidades em Cristo Jesus” (Filipenses 4.19). Ele sabia do que estava falando. Já no fim do seu ministério, o velho embaixador do Rei, em prisões, reafirma a convicção da provisão de Deus. Para Paulo, Deus é sempre o fiel provedor nas circunstâncias mais difíceis. Ele estava se referindo à sua própria experiência missionária, trabalhando de Jerusalém a Roma. O nosso Deus tem prazer em prover no campo da nossa liberalidade. Ele ama ao que dá com alegria (2 Coríntios 9.7). É maravilhoso experimentarmos o cuidado e a provisão do nosso Pai!

            Deus faz frutificar a sua provisão num solo fértil de fé, confiança, descanso, fidelidade e liberalidade. A base da nossa resposta à provisão de Deus é a nossa plena alegria nele. Quando o Senhor é a minha satisfação, todas as coisas são vivenciadas nessa perspectiva. Temos um Deus provedor que nunca falha. O prazer do Pai é ver Seus filhos exercitarem a fé numa vida de liberalidade. A lei da semeadura e da colheita é do Criador. Ele a estabeleceu para a Sua glória e o nosso sustento. Provisão significa ato ou efeito de prover; provimento, abastecimento, fornecimento.A fonte da provisão é o próprio Senhor. Nele está a fonte de toda a boa dádiva e todo o dom perfeito (Tiago 1.17). A despensa do cristão genuíno, que vive na dependência de Deus, está sempre provida. Esta era a certeza de Davi quando afirmou: “Fui moço e já agora sou velho, mas nunca vi desamparado o justo e sem a sua descendência a mendigar o pão” (Salmo 37.25).

            Quantas vezes agimos com incredulidade quando não confiamos que o Senhor abrirá a porta de um trabalho ou suprirá qualquer outra necessidade. Ficamos ansiosos, preocupados e nos esquecemos das sábias orientações de Jesus em Mateus 6.25-34. Aqui está o antídoto contra a ansiedade.  O segredo é buscarmos o Reino de Deus em primeiro lugar, sabendo que as outras coisas serão acrescentadas (Mateus 6.33). A fé na fidelidade de Deus é o segredo para o nosso descanso. O nosso Pai jamais falhará.

            Muito mais importante do que as leituras que fazemos do mundo secular, é a meditação na Palavra de Deus. O nosso referencial não é o que o homem diz ou afirma, mas o que o Senhor revela em Sua Palavra. A palavra final é sempre dele. A leitura de tudo o que acontece neste mundo deve submeter ao crivo das Escrituras. O nosso olhar para o quadro difícil no qual estamos vivendo deve ser sempre na perspectiva do Senhor Jesus Cristo. Podemos viver num mundo caótico, muito difícil ou complicado, mas temos a nossa esperança em Cristo Jesus – Aquele que sem Ele nada do que foi feito se fez (João 1.3). A provisão do Pai está no Filho, pois Ele é antes de todas as coisas e todas as coisas subsistem por meio dele (Colossenses 1.16,17).

A provisão de Deus é real. Infalível. Determinante em nossas vidas. Não podemos retroagir, mas devemos avançar, olhando sempre para Jesus, o Autor e Consumador da nossa fé (Hebreus 12.1,2). Na perspectiva do Reino de Deus, a oração (fé), o exame das Escrituras (espiritualidade), a criatividade (ciência), o trabalho perseverante (força humana) e a integridade (ética ou moralidade) são elementos que formam o campo no qual o Senhor proverá todas as nossas necessidades. A provisão de Deus tem coerência com a nossa coragem e não com o medo. Coerência com a nossa constância. Desde a Criação de todas as coisas até à consumação dos séculos, ao fim da História, o nosso Deus é sempre fiel e não pode negar-se a Si mesmo (2 Timóteo 2.13). Como afirma o apóstolo Paulo: “Graças a Deus pelo seu dom inefável ou indizível” (2 Coríntios 9.15).  Louvado seja o nosso Pai por Sua fidelidade e consequente provisão! 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar