ÍDOLOS DO CORAÇÃO (Oswaldo Jacob)

Quantas vezes utilizamos o verbo adorar para nos referirmos a coisas, bichos, lugares e pessoas. Por exemplo, adoro esta comida, este cachorro, esta cidade, este filho, amigo, professor, lugar etc. Precisamos pensar muito bem antes de falarmos. Medir as palavras é uma atitude de sabedoria. A boca fala do que está cheio o coração, diz o Senhor Jesus (Mateus 12.34). A tendência da natureza humana é a idolatria. Possuímos uma visão deformada das coisas. A sua base é o pecado, a desobediência a Deus que começou com os nossos pais no Éden (Gênesis 3). Na contramão da natureza humana e do pecado está a adoração a Deus, que é Espírito. Jesus nos ensina que devemos adorar a Deus em espírito e em verdade ou sinceridade (João 4.24).

 A seguir, elencamos alguns ídolos que têm tomado o nosso coração e nos distanciado de Deus.  EGOÍSMO. O egoísmo, na verdade, é a centralidade do “eu” em detrimento da centralidade de Cristo, o Senhor. No egoísmo, estou sentado sobre o meu próprio trono e sobre a minha vontade. Só penso em mim e na minha família. Vivo de mim e para mim. Não estou focado nos problemas e necessidades dos outros. O egoísmo é uma doença do coração. Uma cardiopatia congênita. GANÂNCIA. É o desejo de possuir coisas. A aspiração ofegante de querer sempre mais não importam os meios que utilizo para consegui-las. Torna-se fruto de um coração doente, contaminado pela rebelião contra o Senhor. A ganância é própria de uma vida fútil, vazia. Esse desejo desenfreado de possuir é uma obra da carne. AVAREZA.  Esta é chamada pela Bíblia de idolatria (Colossenses 3.5). A avareza é idolatria porque o que você mais quer se torna seu deus. O que você busca mais urgentemente se torna o seu deus(Carson). O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (1 Timóteo 6.10). PRECONCEITO.  É estabelecer um conceito acerca de pessoas ou grupo com más intenções. Quando me coloco acima das pessoas. Quando possuo uma percepção carnal acerca do próximo. É quando o que penso da pessoa está contaminado por um coração maldoso. LEGALISMO. É conduzido pela letra fria da lei. Tem a especialidade de julgar os outros a partir do seu próprio trono do legalismo. O modelo dos legalistas são os escribas, saduceus e fariseus. Também, os judaizantes que entraram para a igreja de Jesus e pregaram um outro evangelho (Gálatas 1.6-8). Eles vestiram uma capa evangélica, mas por dentro eram judeus fundamentados no tradicionalismo. MALEDICÊNCIA.  A pessoa que fala dos outros de maneira implacável. Tem a especialidade de julgar os outros. Olha o cisco no olho do seu irmão e se esquece da trave, do pedaço de pau que está na frente do seu olho. O maledicente espalha contenda, divide as pessoas e compromete o Corpo de Cristo, que é a igreja (Efésios 4.31). Na verdade, a maledicência é uma semeadura livre, mas a colheita será obrigatória. ENTRETENIMENTO. Há um estudioso bíblico que chama o entretenimento de “deus”. Quantas pessoas deixam de vir à igreja por causa de compromissos constantes de festas, recepções, shows, etc. O entretenimento não é prejudicial quando é vivenciado com equilíbrio. RECONHECIMENTO. Este significa a sede por ser notado ou notada. O desejo intenso de receber elogios, glória e louvor. Sabemos que somos servos. Os servos não são reconhecidos. O princípio bíblico é que a glória do nosso serviço é do Senhor (1 Coríntios 10.31). PORNOGRAFIA.  Esta é uma grande arma satânica. De todas as tentações do homem, a mulher é a mais forte. Uma mulher é capaz de levantar um homem ou derrubá-lo. A pornografia tem derrubado líderes ao redor do mundo. O nosso inimigo usa revistas, internet, jornais, etc. A pornografia é uma isca poderosíssima. Paulo nos ordena: Fugi da prostituição (1 Coríntios 6.18,19). PODER. Richard Foster tem um livro muito bom cujo título é: “Dinheiro, sexo e poder”. Quem viu o filme “Advogado do diabo” percebeu a sutileza satânica. No filme, Al Patino, que fez o papel do advogado do diabo, diz: “A minha especialidade é a vaidade”.INVEJA. Esta é uma das obras da carne. Caim invejou o seu irmão Abel. Este sentimento perverso o levou a assassinar o seu irmão. A inveja é a arma dos incompetentes. A sua prática é fruto de um coração contaminado pelo pecado. Ela divide as pessoas, causando sempre um mal-estar. GLUTONARIA.  A glutonaria é uma disfunção orgânica e psíquica que leva a pessoa a comer o que é desnecessário.  Ela é uma obra da carne (Gl 5.21). Causa doenças graves e pode levar pessoas a reduzirem o estômago. CONSUMISMO. É uma perversão ou deformação do consumo. A pessoa compra o que não precisa. Torna-se escrava das coisas. Ela cria situações muito constrangedoras no lar. Geralmente traz endividamento, confusão e, muitas vezes, rompe o casamento. O consumismo é fruto de um desequilíbrio emocional. TECNOLOGIA. A tecnologia é uma excelente serva, mas uma péssima senhora. Há muitos exageros hoje em dia com o uso da tecnologia. Ela tem robotizado as pessoas. Tem dificultado os relacionamentos, tornando-os artificiais e insensíveis.

 

Elencamos acima alguns deuses do coração. Eles têm tomado lugares estratégicos para sorrateiramente dominar a pessoa, tornando-a escrava. Os deuses do coração têm tomado a direção em muitas vidas. Só o Senhor deve tomar o lugar central em nossos corações. A única maneira da pessoa ser curada desse mal é a centralidade de Cristo na vida. É o negar-se a si mesmo, tomar a cruz e seguir a Jesus (Mateus 16.24-27). É viver de Cristo, em Cristo, sob Cristo, por Cristo e para Cristo (Filipenses 1.21). Não permita que ídolos tomem o seu coração, mas que Cristo o tome completamente. A verdadeira felicidade está na Pessoa e Obra de Cristo. 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar