PASTOR - MAIS QUE UM TÍTULO (Sylvio Macri)

Israel Belo de Azevedo fez uma "provocação" aos pastores batistas cariocas reunidos em seu retiro anual no início deste mês; ele disse: "Você não é pastor, você está pastor." Israel, pastor da Igreja Batista Itacuruçá, foi um dos excelentes preletores daquele evento; sua palavra provocou uma certa polêmica entre os retirantes.
 
Aceitei a provocação, pensei no que ele falou e concordei com ele. Realmente, pastor só existe enquanto pastoreia. Pastor não é um mero título, uma honraria pessoal. Também não é uma simples qualificação profissional. E nem somente é alguém que pertence a uma categoria social.
 
Aliás, no passado eu já havia escrito algo no mesmo sentido, abordando Atos 13.1-3, onde lemos: "Na igreja em Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém (....) e Saulo. Enquanto cultuavam o Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: Separai-me Barnabé e Saulo para a obra para qual os tenho chamado. Então, depois de jejuar, oraram e lhes impuseram as mãos; e deixaram que partissem."
 
Para ser pastor é preciso ter um chamado claro, tão claro que a igreja também o ouve. O Espírito Santo ordenou aos irmãos da igreja de Antioquia que se desprendessem de Barnabé e Saulo, porque já os havia chamado. Há razões para duvidarmos de alguém que se diz chamado para ser pastor, mas a igreja nunca soube. 
 
Para ser pastor é preciso ter uma missão definida. Deus não chama ninguém para apenas ter um título. O texto diz que Barnabé e Saulo tinham sido chamados para uma "obra", palavra que também pode ser traduzida por "trabalho". O fato de a igreja se desprender de dois dos seus melhores líderes e lhes impor as mãos, mostra um comissionamento claro de Deus. Não há pastor sem missão.
 
Para ser pastor é preciso também ter o caráter transformado. Barnabé tinha sido enviado pela igreja de Jerusalém a Antioquia porque era "um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé" (At.11.24). E, para ajudá-lo em Antioquia, Barnabé foi a Tarso buscar Saulo, homem irrepreensível segundo a lei (Fp.3.6), que rejeitava as coisas vergonhosas, que não procedia com astúcia, nem distorcia a Palavra de Deus (2Co.4.2).
 
Portanto, pastor é muito mais que um simples título. Para ser pastor três coisas são necessárias: chamado, missão e caráter. 
 
Pr. Sylvio Macri

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Array
(
    [type] => 8
    [message] => Undefined index: option
    [file] => /home/praze123/public_html/libraries/joomla/environment/uri.php
    [line] => 408
)