João 3.1-15: NASCER DE NOVO: À ESPERA DE UMA DECISÃO

NASCER DE NOVO: À ESPERA DE UMA DECISÃO
João 3.1-15
Pregado na Igreja Batista Itacuruçá, em 27.1.2002, manhã.


1. INTRODUÇÃO
É impressionante o interesse pelo Fundador do Cristianismo. Uma prova disto é o número de pessoas que já viram o filme "Jesus", produzido por Bill Bright em 1979 e vertido para 712 idiomas. Até agora, em 236 países, o filme foi assistido por 4,3 bilhões de pessoas, em todas as classes sociais.
O Novo Testamento, que conta a sua história, já atesta este interesse. O Evangelho de João registra um destes interessados. Seu nome era Nicodemos e pertencia à classe dirigente da Palestina do primeiro século da era cristã.
Seu encontro, que produziu um diálogo tenso, está registrado no capítulo 3 desse Evangelho.

[texto bíblico]
Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era líder dos judeus. Uma noite ele foi visitar Jesus e disse:
-- Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele.
Jesus respondeu:
-- Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.
Nicodemos perguntou:
-- Como é que um homem velho pode nascer de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e nascer outra vez?
Jesus disse:
-- Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito. Quem nasce de pais humanos é um ser de natureza humana; quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual. Por isso não fique admirado porque eu disse que todos vocês precisam nascer de novo. O vento sopra onde quer, e ouve-se o barulho que ele faz, mas não se sabe de onde ele vem, nem para onde vai. A mesma coisa acontece com todos os que nascem do Espírito.
--  Como pode ser isso? -- perguntou Nicodemos.
Jesus respondeu:
-- O senhor é professor do povo de Israel e não entende isso? Pois eu afirmo ao senhor que isto é verdade: Nós falamos daquilo que sabemos e contamos o que temos visto, mas vocês não querem aceitar a nossa mensagem. Se vocês não crêem quando falo das coisas deste mundo, como vão crer se eu falar das coisas do céu? Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu. Assim como Moisés, no deserto, levantou a serpente de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna.

2. O PASSO QUE FALTA
Dos bilhões que viram o filme "Jesus", a maioria o assistiu movida por algum tipo de curiosidade, embora 150 milhões tenham informado que O aceitaram como seu Salvador, que é o centro da mensagem do Evangelho anunciado pelas igrejas cristãs.

2.1. O Nicodemos desta história faz parte do primeiro grupo. Seu interesse e o de sua comunidade representam bem aqueles que podem até aceitar Jesus como a Bíblia o apresenta, mas não querem realmente mudar. Nicodemos, ao procurar Jesus, reconhecia que precisava mudar, que precisava viver segundo os ensinos dAquele Enviado dos céus. No entanto, ele não teve a coragem de dar o passo claro e público em direção a Jesus.
O Novo Testamento registra que Nicodemos tinha um grande apreço por Jesus. Quando o Mestre estava sob forte pressão dos líderes religiosos, ele o defendeu, pedindo que fosse ouvido, antes de ser condenado (João 7.50-52). Morto Jesus, Nicodemos e José de Arimatéia se apresentaram para cuidar do corpo do Mestre, fazendo-o carinhosamente, gastando, inclusive, dinheiro para custear as despesas do enterro (João 7.50-52).
Como Nicodemos, há muitas pessoas que não assumem publicamente que amam a Jesus porque não querem viver segundo os seus ensinos. Essas pessoas talvez gostem de alguns aspectos das vidas que levem e querem continuar nelas, mesmo que sejam infelizes na maior parte do tempo, mesmo que dominados pelo medo quase sempre, mesmo que tenha que a paz interior por meio de remédios, mesmo que não tenham perspectivas para o presente nem para o futuro, mesmo que já tenham percebido que sozinhas não podem mudar seus destinos.

2.2. Como Nicodemos, há muitas pessoas que se satisfazem como uma visão apenas intelectual de Jesus, mas sem uma experiência pessoal com Ele. Essas pessoas reconhecem a Jesus como um mestre, como alguém cheio da sabedoria do seu povo ou até mesmo com um grande místico. Essas pessoas até admiram aqueles que têm fé, mas não dão um passo claro e público em direção a Jesus.
Há algum tempo trazida por uma amiga, uma senhora começou a freqüentar nossos cultos. Ela chegou a cantar nossos hinos. Ela se sentia bem conosco. Aos poucos, ela começou a entender o que era ser uma cristã. Educadíssima, um dia ela me procurou. Ela veio me dizer que Jesus é realmente o Salvador e que ela gostaria de segui-Lo, mas não iria fazê-lo. Seguir a Jesus era a coisa certa, mas não era para ela. E nunca mais apareceu.
Há pessoas que sabem que Jesus pode mudar as suas vidas, mas não querem ter suas vidas mudadas.

2.3. Como Nicodemos, há muitas pessoas com dificuldades para entender o que Jesus fez e o que ele pode fazer.
Há pessoas que não conseguem compreender que Jesus é Aquele capaz de transformar radicalmente uma vida, pondo a pessoa dentro do Reino de Deus, isto é, completamente dentro da vida eterna, ou seja, vivendo numa nova perspectiva.
Sempre que alguém me procura para ser batizada, pergunto pelo que mudou na sua vida. Inúmeras vezes tenho ouvido o mesmo testemunho:
-- Bem, eu não sei explicar direito. Mas sei dizer que minha vida mudou.
Uma pessoa que batizei me disse que vivia cheia de ódio por causa de uma injustiça, mas que Jesus a libertou do ódio e que agora a sua vida tinha futuro, não estava mais presa ao passado.
Um irmão nosso foi visitar outra irmã no seu local de trabalho. Enquanto esperava, começou a conversar com uma empregada da loja. O que ele ouviu é edificante:
-- Eu não sou evangélica, mas posso dizer que dona fulana mudou muito. Ela era muito ansiosa. Quando chegava a época dos pagamentos, ela entrava em desespero. Agora, não. Ela fica tranqüila, como se soubesse que vai dar tudo certo. Não briga mais à toa com a gente, embora continue firme.
Essas são as coisas simples do dia-a-dia, sem falar em transformações ainda mais radicais. Ouvimos um dia aqui o testemunho de um rapaz, esportista promissor, que acabou com seus estudos e com sua carreira por causa das drogas. Enquanto seus pais oravam por ele, ele se afundava nos vícios, até que um dia aceitou o convite de Jesus, o mesmo que ele fez a Nicodemos, para nascer de novo. Ele aceitou, largou a droga, largou o cigarro, voltou a trabalhar e hoje estuda música sacra para adorar melhor o Deus que resgatou a sua vida da lama.
Ouviu-se também o testemunho de uma jovem, infeliz, temerosa de que alguém tinha feito um despacho para sua vida. Ela não conseguia mais dormir, nem trabalho direito. Sua luta era a busca de algo ou alguém que pudesse desfazer o despacho que acreditavam lhe tinham feito. Até que um dia ela se encontrou com Jesus, sentiu que a sua vida mudou e nunca mais teve medo.
É isso que Jesus faz. Essas histórias nos levam a concordar com o apóstolo Paulo, quando diz que o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Romanos 1.16). Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, [é o] poder de Deus (1 Coríntios 1.18).


3. O CONVITE DE JESUS
A você que O busca, seja como Nicodemos, seja como alguém interessado em entrar no Reino de Deus, Jesus tem um convite a fazer: nasça de novo (verso 3).

3.1. Trata-se de um nascimento espiritual, diferente do nascimento biológico. É por isto que Jesus convida você a nascer da água e do Espírito.
Esta é a condição sem a qual você não pode entrar no Reino (verso 5). Esta é uma operação espiritual, não uma operação natural. Alguns pensam que podem nascer de novo negando-se a si mesmos, vivendo uma vida de sacrifícios e esperando a bênção da salvação por ter merecido. Outros pensam que podem nascer de novo afirmando-se a si mesmos, ponteando as suas vidas de ações caridosas em beneficio dos outros.
A Bíblia é muito cara quando diz que a salvação é um presente de Deus, por meio de Jesus Cristo (Efésios 2), sem que tenhamos feito qualquer coisa para merecer. Ela não vem dos nossos esforços, para que nenhum de nós fique vaidoso. O salvo se envolve em boas obras, porque é salvo, não para ser salvo.

3.2. Jesus diz que este nascimento se dá pela água e pelo Espírito.
Estamos diante de uma figura de linguagem para nos ajudar a entender o que é a regeneração.

Nós sabemos para que serve a água. Sabemos que o corpo humano não pode viver sem ela. Sabemos também que ela é o elemento mais importante da higiene. Em relação ao novo nascimento, a água é o símbolo da purificação. É por isto que o batismo é celebrado na água, numa indicação de que pessoa foi purificada por Jesus Cristo.
Ser purificado significa que a pessoa permitiu que Deus matasse a sua natureza terrena, para receber uma natureza espiritual. O apóstolo Paulo descreve as duas naturezas humanas: Portanto, matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria. Pois é por causa dessas coisas que virá o castigo de Deus sobre os que não lhe obedecem. Antigamente a vida de vocês era dominada por esses desejos, e vocês viviam de acordo com eles (Colossenses 3.5-7).
O uso da água também indica que esta purificação não é auto-obtida, mas vem de fora, vem do Alto, vem de Deus. Na religião cristã, o homem não se purifica; ele é purificado. Nossa própria natureza não produz a mudança radical do novo nascimento.
Esta dimensão transcendental (como algo que vem de fora e de Cima) é dada pela afirmação de que o novo nascimento se dá pelo Espírito, pelo Espírito Santo de Deus. Só o Espírito pode produzir em nós uma nova natureza. Pelo estudo, podemos fazer uma reformazinha no nosso caráter, mas nunca uma transformação.
Por ser uma obra do Espírito Santo, não é para ser entendido (pela razão), como queria Nicodemos (verso 10). Na verdade, não faz nenhum sentido racional. Assim como ninguém pode voltar ao ventre de sua mãe, ninguém também pode compreender esta ação renovadora do Espírito Santo.

3.3. Diante do convite do Espírito, nossa única ação, por assim dizer, é o salto da fé (verso 13).
Você sabe de onde vem o vento? Não, mas você o sente e, por isto, sabe que ele existe. De igual modo, você pode não compreender como Deus pode regenerar (re-gerar) você, mas você pode ser re-gerado.
O salto que Ele pede é a fé nEle como Senhor, como Salvador, como Doador da vida e da paz, como Produtor da liberdade e da alegria. Quem dá este salto pula para a vida eterna, que não é ser lançado para fora desta vida, mas para dentro da vida plena, que começa agora, para não terminar jamais.
Quem o garante é Jesus Cristo, que desceu do céu para morrer em nosso lugar na cruz (verso 14). Ele insiste que nascer de novo é uma necessidade para todos (Não fique admirado porque eu disse que todos vocês precisam nascer de novo -- verso 7), para todos os que querem a vida completa.

4. CONCLUSÃO
Creia que Jesus Cristo morreu na cruz por você.
Siga a Jesus. Comprometa-se com Ele agora. Não faça como Nicodemos.
Deixe que o Espírito Santo faça você nascer de novo.
Jesus espera por sua decisão.

Comentários   

 
0 #2 NASCER DE NOVOGuest 27-02-2011 22:43
Em uma oportunidade fui convocado a dar uma palestra sobre o batismo o tema não éra este sobre o nascer de novo, mas como um passo divino preguei sobre Nicodemos, acredite houve varias manifestações no publico e varias pessoas, abraçava-me choravam o ambiente foi trasformado numa sala de batismo havendo mudanças e converções.
 
 
0 #1 Palestina ou Israel?Guest 31-01-2011 11:38
Ótimo só tive uma dúvida. Se Nicodemos era dirigente na Palestina porque Jesus disse ser ele mestre em Israel?
Obrigado.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar