Atos 4.36-37; 5.1-11: DEUS QUER MUDAR O NOSSO CARÁTER

DEUS QUER MUDAR O NOSSO CARÁTER

Atos 4.36-37; 5.1-11



1. INTRODUÇÃO
A história de Ananias e Safira é um trágico contraponto à história de José Barnabé.
A Igreja de Jerusalém praticava o comunismo do amor: voluntariamente os cristãos vendiam os seus bens e voluntariamente entregavam o dinheiro arrecadado para ser usado à medida que houvesse necessidade.
José Barnabé, possivelmente um homem próspero (Atos 4.36-37), é apresentado como o protótipo do cristão que se envolveu de corpo e alma no projeto. A atitude de Ananias e Safira, ao contrário, é o exemplo do cristão que aparentemente se envolve no projeto, porque envolvido apenas de corpo, mas não de alma. Como Barnabé, o casal também tinha bens expressivos.
Nenhum deles era obrigado a vender os seus bens para socorrer a Igreja. Nenhum deles era obrigado a entregar na tesouraria o dinheiro recolhido com a transação.

2. NARRATIVA DE UM TRISTE ANTEPASSADO
A prática de Ananias e Safira se assemelha à de Acã (Josué 7), um milênio antes e a poucos quilômetros de distância. O patriarca do Antigo Testamento tomou das coisas condenadas, porque pertencentes a um povo inimigo. O casal do Novo Testamento tomou das coisas abençoadas, porque voluntariamente separadas para o bem da comunidade em Jerusalém.
Recordemos Acã.
Deus tinha instruído a Josué no sentido de nenhum pertence dos habitantes de Ai se tornasse propriedade dos filhos de Israel. Quem procedesse desse modo seria considerado ladrão. Então, o povo saiu para a guerra, e começou a perder. Josué voltou-se para Deus, cheio de perguntas. O Senhor lhe respondeu que o povo tinha roubado os habitantes de Ai. (O povo de Israel pecou. Eles quebraram a aliança que haviam feito comigo, a aliança que eu mandei que guardassem. Ficaram com algumas coisas que eu mandei que fossem destruídas. Eles roubaram essas coisas, mentiram por causa delas e as colocaram no meio da bagagem deles. -- verso 11)
Deus disse a Josué como proceder: Levante-se e vá santificar o povo. Diga que se purifiquem para amanhã porque eu, o Eterno, o Deus de Israel, digo isto: "Israelitas, vocês estão guardando algumas coisas que eu mandei destruir. Enquanto não se livrarem delas, vocês não poderão enfrentar os inimigos"  (verso 13).
Quem tivesse desobedecido deveria morrer (verso 15). Teve início o processo de descoberta de quem procedera assim, porque não fora o povo todo. Ao final, o nome Acã apareceu nas investigações.
Josué, então, lhe disse:
-- Agora, meu filho, confesse a verdade diante do Eterno, o Deus de Israel. Conte-me o que você fez; não procure esconder nada.
Acã respondeu:
-- Sim, eu pequei contra o Eterno, o Deus de Israel. Vou contar o que fiz. Entre as coisas que pegamos, vi uma bela capa da Babilônia; vi também uns dois quilos de prata e uma barra de ouro que pesava mais ou menos meio quilo. Fiquei com tanta vontade de ter aquelas coisas, que guardei para mim. Estão escondidas, enterradas na minha barraca, e a prata está por baixo.
Então Josué mandou que alguns homens fossem depressa até a barraca; e eles, de fato, acharam as coisas enterradas e a prata por baixo. Tiraram as coisas da barraca, e levaram a Josué e a todos os israelitas, e puseram tudo na presença do Deus Eterno.
Aí Josué e todo o povo de Israel pegaram Acã, a prata, a capa, a barra de ouro, os seus filhos e filhas, os seus bois, jumentos, ovelhas, a sua barraca e tudo o que ele tinha e os levaram para o vale da Desgraça. (...) Em seguida o povo todo matou Acã a pedradas. Eles apedrejaram e queimaram a sua família e tudo o que ele tinha. (Josué 7.19-25 BLH)

Se está "vendendo" santidade, mas nunca ora, nunca lê a Bíblia, nunca se importa com os outros, está prejudicando a igreja toda. Se você está em adultério, está prejudicando toda a sua igreja. Se você está retendo um dinheiro que não é seu, está prejudicando toda a sua igreja.  Este é o princípio da comunidade espiritual.
Dê graças ao Senhor porque Ele não age mais como fez como Acã e com o casal Ananias e Safira, mas não brinque com Ele, porque é horrível cair nas mãos do Deus vivo (Hebreus 10.31). Tratemos de levá-lO a sério.

3. HISTÓRIA NARRATIVA DA EXPERIÊNCIA EM JERUSALÉM
Voltemos a Jerusalém. Voltemos à história do casal, que caiu nas mãos dos Deus vivo, como narradas por Lucas em Atos 4.36-37; 5.1-12:

Um homem chamado Ananias, casado com uma mulher que se chamava Safira, [tinha prometido que, quando vendesse o terreno que tinha, traria todo o resultado para a tesouraria da igreja de Jerusalém.
A promessa fora feita num de culto. Pedro acabara de pregar, estimulando os irmãos a disporem de seus bens para serem aplicados no bem-estar de toda a comunidade. Muitos prometeram que teriam tudo em comum, para poderem se dedicar à evangelização. Outros não prometeram e nem por isto ficaram à margem. Era uma disposição voluntária e transitória. Entre os que prometeram estavam José Barnabé e Ananias. Ananias parecia o mais entusiasmado. Ele disse que tinha grande prazer em servir a Deus servindo aos seus irmãos.]
Foi assim que José vendeu um terreno dele e entregou o dinheiro aos apóstolos. José era levita e havia nascido na ilha de Chipre. Os apóstolos o chamavam de Barnabé, que quer dizer "Aquele que dá ânimo".
[Quanto a Ananias, ele também] vendeu um terreno. [Num dia de culto, solenemente, para que todo mundo visse, junto com sua esposa, ele trouxe a sua oferta. A congregação ficou feliz. A congregação deu glórias a Deus porque o Espírito Santo tocara e aqueles corações foram sensíveis ao Seu toque. A verdade era outra. Ele] só entregou uma parte do dinheiro aos apóstolos, ficando com o resto [retendo indevidamente, diferentemente do que voluntariamente prometera]. E Safira sabia disso. [Sabia e concordava. Sabia estava gostando. Sabia e fazia planos em como gastarem juntos o que roubaram. Sabia e já olhava para os "tolos" da igreja que acreditavam neles e para os "bobos" que tinham cumprido a promessa]
Então Pedro lhe  a Ananias:
-- Por que você deixou Satanás dominar o seu coração? Por que mentiu para o Espírito Santo? Por que você ficou com uma parte do dinheiro que recebeu pela venda daquele terreno? Antes de você vendê-lo, ele era seu; e, depois de vender, o dinheiro também era seu. Então por que resolveu fazer isso? Você não mentiu para seres humanos; mentiu para Deus! [A intenção do casal era projetar uma imagem de pessoas generosas, de pessoas santas. O casal, na verdade, queria receber as bênçãos da generosidade sem ser generoso. Enganar aos homens e a Deus era para eles a mesma coisa, já que não tinham respeito pelos homens, nem reverência para com Deus. Aquela era uma atitude ditada por um caráter dominado pelo egoísmo, primeiro porque a iniciativa da oferta total, que se tornou parcial, foi dele, e segundo, porque mesmo colocando tudo na tesouraria, eles poderiam pegar o que precisassem para tocar as suas vidas].
Assim que ouviu isso, Ananias caiu morto; e todos os que souberam do que havia acontecido ficaram com muito medo. Então vieram alguns moços, cobriram o corpo de Ananias, levaram para fora e o sepultaram.
A mulher de Ananias chegou umas três horas depois, sem saber do que havia acontecido com o marido. Pedro perguntou a ela:
-- Me diga! Foi por este preço que você e o seu marido venderam o terreno?
-- Foi! -- respondeu ela. [Safira não pagaria pelo pecado do seu marido, mas pelo seu próprio. O Espírito Santo lhe soprava para dizer a verdade, mas ela preferiu ouvir a voz de Satanás, o pai de todas as mentiras que nós enunciamos.]
Então Pedro [lhe] disse:
-- Por que você e o seu marido resolveram pôr à prova o Espírito do Senhor? [Por que vocês acharam que podiam enganar o Espírito Santo? Vocês podem nos enganar, mas não a Deus. "De Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. --  Gálatas 6:7.] Os moços que acabaram de sepultar o seu marido já estão lá na porta e agora vão levar você também.
No mesmo instante, ela caiu morta aos pés de Pedro. Os moços entraram e, vendo que ela estava morta, levaram o corpo dela e o sepultaram ao lado do marido.
E toda a igreja e todos aqueles que souberam disso ficaram apavorados, sabendo, como os contemporâneos de Josué, que é terrível cair nas mãos dos Deus vivo quando se está em pecado.
Eis como devia ser punida a hipocrisia, porque a hipocrisia mata a igreja. A hipocrisia mata o Cristianismo. Esta é a maior tragédia do Cristianismo.

4. PODEMOS CONVERTER O NOSSO CARÁTER?
Toda a igreja, cuja palavra é pela primeira vez usada por Lucas nos Atos, seria afetada pela mentira de Ananias e Safira. Podemos dizer que o Cristianismo acabaria ali, como o povo de Israel acabaria se a palavra de Deus não fosse obedecida.
A generosidade de José Barnabé, nós vemos diariamente. Certamente, alguns de nós já fomos beneficiários de um José contemporâneo.
De igual modo, vemos a fanfarrice de Ananias e Safira nas experiências de muitos cristãos. Talvez nós mesmos já os tenhamos sido.
A pergunta que nos interessa agora é: por que o casal de Jerusalém procedeu daquele modo? Por que Ananias e Safira mentiram? Ou: por que a hipocrisia tem minado na base o Cristianismo? Por que há tantos crentes de mentirinha?
Ananias e Safiram se converteram a Cristo, mas seu comportamento revela que continuaram escravos da sua velha natureza. O caráter de Ananias não fora transformado. O caráter de Safira permanecia o mesmo do seu tempo de incredulidade.
Ananias e Safiram, portanto, eram cristãos, cujas almas tinham sido convertidas, mas não o caráter.
E como era o caráter deles?
A fonte das suas decisões permanecia a mesma: o ego, dominado pelo pecado. Para eles, ter era a razão de ser. O egocentrismo era a sua atitude, não o teocentrismo.
O recurso para proteger o ego foi a mentira. Eles, inspirados por Satanás, usaram as palavras, algumas bonitas, para esconderem o intento dos seus corações e a verdade das suas vidas.
O objetivo, coerente com o domínio do ego, era a busca de uma honra imerecida. Eles queriam ficar na história como José Barnabé. Eles queriam uma glória, desde que não tivessem que pagar o preço para experimentá-la. Barnabé foi louvado pela transparência; eles foram mortos por sua hipocrisia. O erro deles não foi a falta de honestidade (ao trazerem apenas uma parte do dinheiro arrecadado), mas a falta de integridade (ao trazerem apenas uma parte fingindo que era tudo).
Diante da experiência destes dois patriarcas da morte, podemos perguntar:
O que acontece com um egoísta que se converte? Continua egoísta?
O que acontece com um mentiroso que se converte? Continua mentiroso?
O que acontece com um vaidoso que se converte? Continua vaidoso?
Lembremos que o egoísmo atenta contra Deus, destrói o indivíduo e mata a comunidade.
A mentira zomba de Deus, adoece o indivíduo e confunde a comunidade.
A vaidade ignora a Deus, derruba o indivíduo e dispersa a comunidade.

Deus nos convida, por meio da Sua Palavra, a permitir que Ele transforme o nosso caráter. Eis o que Ele pede:

Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele.
Por isso não mintam mais. Que cada um diga a verdade para o seu irmão ou irmã na fé, pois todos nós somos membros do corpo de Cristo!
Se vocês ficarem com raiva, não deixem que isso os faça pecar e não fiquem o dia inteiro com raiva. Não dêem ao Diabo oportunidade para tentar vocês.
Quem roubava que não roube mais, porém comece a trabalhar a fim de viver honestamente e poder ajudar os pobres.
Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem.
E não façam com que o Espírito Santo de Deus fique triste. Pois o Espírito é a marca de propriedade de Deus colocada em vocês, a qual é a garantia de que chegará o Dia em que Deus os libertará.
Abandonem toda amargura, todo ódio e toda raiva. Nada de gritarias, insultos e maldades! Pelo contrário, sejam bons e delicados uns para com os outros. E perdoem uns aos outros, assim como Deus, por meio de Cristo, perdoou vocês.
Vocês são filhos queridos de Deus e por isso devem ser como ele [é].
Que a vida de vocês seja dominada pelo amor, assim como Cristo nos amou e deu a sua vida por nós, como uma oferta de perfume agradável e como um sacrifício que agrada a Deus!
Vocês fazem parte do povo de Deus; portanto, qualquer tipo de imoralidade sexual, indecência ou cobiça não pode ser nem mesmo assunto de conversa entre vocês.
Não usem palavras indecentes, nem digam coisas tolas ou sujas, pois isso não convém a vocês. Pelo contrário, digam palavras de gratidão a Deus.
Fiquem certos disto: Jamais receberá uma parte no Reino de Cristo e de Deus qualquer pessoa que seja imoral, indecente ou cobiçosa (pois a cobiça é um tipo de idolatria).
Antigamente vocês mesmos viviam na escuridão; mas, agora que pertencem ao Senhor, vocês estão na luz. Por isso vivam como pessoas que pertencem à luz, pois a luz produz uma grande colheita de todo tipo de bondade, honestidade e verdade.
Procurem descobrir [sempre] quais são as coisas que agradam o Senhor. (Efésios 4.24-32; 5.1-5, 8-10 BLH)

Quanto nos pomos no caminho da santidade, que é o caminho que agrada a Deus, vamos, dia após dia, transformando a fonte de nossas atitudes, tirando-a de nós mesmos, de nosso ego, e transferindo-a para Deus. Aos poucos, deixamos de ser egocêntricos para sermos teocêntricos, deixamos de ter um caráter moldado pelo eu para ter um caráter moldado pelo Espírito Santo, até alcançarmos a plenitude de Cristo.
No caminho da santidade, importa-nos a verdade, mesmo que ela deponha contra mesmos. O Espírito de Deus é a luz que esquadrinha os nossos corações e vê os desígnios maus e os domina. No caminho da santidade, nossa oração não é outra senão a do poeta bíblico: Sonda-me, o Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno. (Salmo 139.23), caminho santo que nos aproxima do Deus Santo.
No caminho da santidade, buscamos a glória de Deus, pois esta é a razão da vida. Na glória dEle temos paz, alegria e força. E até honra, como Barnabé, que não a procurou, mas teve.

5. CONCLUSÃO
Um egoísta que se converte é um egoísta a cada dia menor, desejoso de ser escondido pela cruz de Cristo.
Um  mentiroso que se converte é um mentiroso a cada dia mais envergonhado de ser filho do diabo, porque quer ser filho do Deus da verdade.
Um vaidoso que se converte é um vaidoso que a cada dia se olha no espelho e diz: "Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?" (Romanos 7.24)

Se estes não fores os nossos compromissos e os nossos sinceros desejos, não passamos de Ananias e Safira.

ISRAEL BELO DE AZEVEDO

(Pregado na Igreja Batista Itacuruçá, em 9.9.2001 -- manhã)

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar