BOM DIA: A segunda parte da oração




Deus é bondoso.
E cantamos.
Deus é sábio.
E o admiramos.
Deus é soberano.
E perguntamos: por que?
 
Com toda a fé, oramos:
-- Pai, afasta de mim este cálice.
 
Nossa garganta, no entanto, reluta em concordar:
-- Pai, contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua.
 
ISRAEL BELO DE AZEVEDO
(BOM DIA 474)

Comentários   

 
0 #2 Disposição em servi-LOGuest 14-04-2011 10:16
Diante desta reflexão estaria certa a frase de Carlos Drumond de Andrade, em relação homem/Deus?

"A minha vontade é forte, mas a minha disposição (acrescimo meu..."em servi-LO") é fraca".

Talvez seja aí o motivo da prevalência de nossa vontade e não a Deus.

Rubens Daminelli
 
 
0 #1 A VONTADE DO PAIGuest 14-04-2011 06:57
É comum colocarmos as nossas aspirações diante de Deus para que sejam realizadas porque as entendemos legítimas, sem que observemos a Vontade do Pai. Nem mesmo Jesus Cristo livrou-se dessa atitude, com a diferença que Ele, Jesus, submeteu a sua aspiração ("afasta de mim esse cálice") ao cumprimento da Vontade de Deus. A segunda parte da oração, de fato, é a mais importante, apesar de que, nem sempre entendamos isto, querendo que o nosso desejo se realize sem que saibamos qual é o desejo de Deus.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Array
(
    [type] => 8
    [message] => Undefined index: option
    [file] => /home/praze123/public_html/libraries/joomla/environment/uri.php
    [line] => 408
)