O CÂNTICO DA DEPRESSÃO, 1/3 - Quinta-feira, 08/02/18

Refletindo: Salmo 88 — O CÂNTICO DA DEPRESSÃO, 1/3

Os registros antigos, presentes na primeira linha do salmo, trazem a seguinte informação:

“Cântico. Salmo dos filhos de Corá. Ao mestre de canto. Para ser cantado com cítara. Salmo didático de Hemã, ezraíta”.

A autoria da oração, para ser cantada em público, é atribuída aos “filhos de Corá” e ao ezraíta Hemã. A primeira informação é genérica: o autor pertencia à família levítica de Corá. A segunda dá seu nome: Hemã, um coraíta, filho de Zera e irmão de Etã (1Crônicas 2.6).
A condição do salmista quando escreve é muito clara. Ele sofria de uma enfermidade, hoje classificada como depressão. Assim, o músico se sente completamente abandonado por Deus.
Juntando estas duas informações preliminares, aprendemos algo de grande valor: a depressão pode ser uma doença que alcança a todos, não importa a família, a posição social ou a competência da pessoa.
Sobre Hemã, a Bíblia nos informa ainda que trabalhou com o rei Davi, com quem serviu também como profeta que atuava por meio dos instrumentos musicais (1Crônicas 25.5)
O poeta, que não deve ser confundido com outro Hemã da tribo de Judá (1Crônicas 2.5), era um levita, neto do grande profeta Samuel (1Crônicas 6.33) e pai de outros músicos, que trabalharam sob a sua supervisão (1Crônicas 25.4-6) e também estavam presentes quando a Arca da Aliança foi levada para Jerusalém (2Crônicas 5.12).
Sobre sua depressão, que era crônica desde a juventude (verso 15), o salmo nos diz que foi muito dolorosa.
_________________________

REPRODUÇÃO -- Autorizamos a reprodução deste conteúdo com a condição que seja citada a fonte nos seguintes termos: Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

 

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar