Sexta, 17/03/17 -- A CONDENAÇÃO À PRÁTICA HOMOSSEXUAL

Refletindo: Levítico 18.22
 
Entre as uniões sexuais inaceitáveis, estão a relação durante o período de menstruação da esposa, a relação adúltera entre um homem e uma mulher, a prostituição cultual, a relação entre pessoas do mesmo sexo e a relação entre seres humanos e animais.
A homossexualidade masculina é considerada uma abominação, embora não fosse entre os mesopotâmios e os hititas. 
O ato sexual no período menstrual implica em "contaminação" (Levítico 18.19). A prostituição cultual é "profanação" (Lv 18.21). A bestialidade (sexo entre seres humanos e animais) é "confusão" (Levítico 18.23). A relação homossexual é "abominação" (como lemos também Levítico 20.13). É gesto que ofende a Deus.
A condenação continua válida. Ela é retomada no Novo Testamento pelo apóstolo Paulo.
Em Romanos 1.26-27, Paulo condenado a homossexualidade masculina e feminina por serem contra o que Deus estabeleceu, ao criar macho e fêmea. 
Em 1 Coríntios 6.9-11, ele mostra que a homossexualidade se opõe à única união sexual válida, que se dá entre um homem e uma mulher.
Em 1 Timóteo 1.9-10, Paulo sublinha que o ato homossexual  viola o sétimo mandamento: "Não adulterarás" (Êxodo 20.14). 
Antigo e Novo Testamentos se conectam.

Comentários   

 
0 #1 oioi 17-03-2017 18:31
oi
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Array
(
    [type] => 8
    [message] => Undefined index: option
    [file] => /home/praze123/public_html/libraries/joomla/environment/uri.php
    [line] => 408
)